domingo, 10 de fevereiro de 2013

Pequenas inseguranças e viagens




- Amiga! Como foi a saída ontem?

- Ahhh! Você não imagina! O Diogo é muito fantástico!

- Sérioooo? Que máximo! Me conte, me conte tudo, todos os detalhes sórdidos!

- Então, nós jantamos, conversamos e depois fomos pra uma boate juntos.

- Hum, e que tal ele?

- Ah ele é lindo, lindo! Tipo assim, é alto, magro...

- Malhado?

- Não, malhado não, tem uma barriguinha de cerveja.

- Affff... e o resto.

- Ele é lindo, sério to te falando! Bom, ele tem o nariz um pouco grande.

- Ai meu Deus, to começando a achar que você estava bêbada.

- Bom, eu estava, claro, mas ele é lindo. O nariz dele deixa ele másculo.

- Hum, tá legal. E o beijo?

- Nossaaaa um beijo maravilhoso. Fora que ele é muito, muito cheiroso. E nós dançamos, você acredita?

- Dançaram? Tipo um bolero de rosto colado?

- Não sua tonta, mas dançamos a música que estava tocando mesmo, abraçadinhos.

- Ah, você quer dizer que ficaram se balançando enquanto ele aproveitava pra se esfregar em você.

- Vá se catar, Luana. Ele é lindo, beija bem e dançamos juntos.

- E... ?

- E nada, ele me trouxe em casa. Bom, é claro que ele queria esticar a noite, mas eu achei melhor dar um tempo né? Pra gente se conhecer melhor.

- Humm a moça bem comportada. E agora?

- Então, é isso que eu estava pensando. Como ele me ligou na última vez, tinha pensado em tomar a iniciativa pra uma próxima, pra mostrar interesse, sabe como é...

- Sei. Então você vai ligar pra ele e chamar pra sair?

- Pois é, eu pensei nisso como primeiro recurso, mas depois achei meio exagerado. Talvez eu pudesse só ligar, assim como quem não quer nada, pra saber como ele está e tal.

- Não sei, não sei. Se vocês saíram ontem pela primeira vez, ligar pra saber como está pode parecer coisa de namorada. Assim, tipo de quem tá achando que é namorada.

- Aff, você acha?

- Acho sim. Melhor dar um tempo e ligar daqui uns dois dias, pra ver se ele te convida pra sair.

- Mas dois dias não é muito tempo? Tipo, será que eu não posso cair no esquecimento?

- É... até pode ser. Mas e se você ligasse daqui dois dias convidando ele pra jantar na sua casa?

- Meio agressivo não é? Saímos uma vez e eu já parto pra jantinha em casa?

- Vixe, pior que é. Ele pode se assustar ainda mais do que com a ligação hoje.

 - Já sei! E se eu mandar um torpedo? Um torpedinho assim, como quem não quer nada. Alguma coisa perguntando se ele acordou bem pra trabalhar. Não é a mesma coisa que ligar.

- Pode ser uma boa! Claro amiga, ideia de gênio. Manda um torpedo num tom assim bem brincalhão, tipo: “sobreviveu bem ao trabalho depois de ontem?”

- Ótimo! Perfeito! Uma coisa assim bem tranquila, de mulher desencanada, mas que se preocupa com ele.

- Isso, nada de namorada cobrando, só uma mulher ocupada que não ficou o dia todo pensando nele, mas atenciosa o suficiente pra se lembrar.

- Massa, vou mandar então.

- Por que está aí parada olhando pra minha cara, em vez de mandar logo?

- To pensando. E se o torpedo não chegar? Se ele não receber e eu ficar achando que ele não quis me responder? Vai ser uma droga. Quando ele me ligar eu vou estar p da vida com ele, que não vai entender nada.

- Manda com confirmação de recebimento.

- Mas e se ele receber e não responder na hora, por algum motivo? Se estiver numa reunião, ou tomando banho e não ver, e me responder horas depois? Eu vou achar que ele não liga pra mim.

- Ou pior. Se ele ler e não responder você nunca vai ter certeza absoluta de que ele fez isso porque não quer mais nada com você. Sempre vai se perguntar se ele realmente recebeu, se foi ele que leu, se a mensagem não foi toda truncada... Vai ficar noiando uma eternidade e esperando ele ligar até ter certeza que ele não vai mais aparecer.

- É mesmo, isso seria horrível!

- Uó.

- Péssimo.

- Abaixo da linha da pobreza.

Silêncio.

- Olha, mas se ele realmente não quer mais nada comigo, é melhor eu ligar logo. Assim já vejo pela voz duma vez. E se ele quiser, não vai se importar de eu ligar no dia seguinte, mesmo que pareça coisa de namorada.

- Pensando sob esse aspecto... é melhor ligar.

- Vou ligar.

- Então liga.

- Perai que meu telefone tá tocando.

- Então atende.

- Meu Deus, é ele!

- Atende essa merda logo!

- Alô? Oi, oi Diogo! Sim, eu posso falar. Então, como foi o dia, conseguiu ficar bem pra trabalhar? Ah, que bom. Ah, eu também, Ah, eu também. – risinhos. – Claro, quero sim. Umas oito? Hum, pode ser nove? Ah que bom. Então tá... tá certo. Te espero às nove. Beijooo.

Silêncio com sorrisos.

- Você não vai me contar?

- Amigaaa! Ele me chamou pra sair hoje. Pra uma festa de uns amigos dele.

- Ahhhhh! Isso é coisa de namorado.

- Pois é, será que a gente não tá indo rápido demais não? Fiquei um pouco preocupada...

- Quer saber? Vai se arrumar e para de me encher.

- Ai é verdade! Tenho que me arrumar correndo! Obrigada amiga pelos conselhos! Agora fica aí que eu preciso de ajuda pra escolher a roupa. Eu não tenho uma roupa pra colocar, acredita? Vou ter que revirar o armário todo!