sábado, 23 de novembro de 2013

Eu prefiro viver

Eu prefiro deixar de entrar no elevador quando ele está muito cheio. Prefiro porque por mais atrasada que eu esteja, os cinco minutos que vou perder pra esperar outro eu posso recuperar, mas se ele despencar não posso recuperar minha vida.


 Eu prefiro comer uma sobremesa maravilhosa com os amigos naquele jantar bacana. Isso porque as calorias que eu ganhar posso perder, mas o prazer de comer aquele negócio delicioso, naquele momento especial, dificilmente me será dado de novo.


Eu prefiro pegar um táxi e marchar com 20 conto do que aceitar a carona daquele amigo caindo de bêbado. Prefiro porque minha vida vale mais que 20 conto, pelo menos pra mim, e certamente pra minha mãe também.


Eu prefiro arriscar por um sonho, ainda que eu tenha que abrir mão de uma vida estável, se esta vida estável não estiver me deixando feliz. E eu prefiro abrir mão de um sonho, se um dia ele deixar de fazer sentido. Isso porque, só quem pode saber e procurar e encontrar os desejos da minha alma sou eu mesma.


E o que isso tudo tem a ver com o tema do blog?

Eu explico. Existem duas lógicas em relacionamentos, especialmente para mulheres mais experientes.
Número 1: Eu prefiro ficar sozinha a me meter num relacionamento que parece roubada porque prefiro não sofrer.

Número 2: Eu prefiro arriscar um relacionamento, porque estou sofrendo sozinha.

E o que eu prefiro? Bem, depende. Eu prefiro viver. Sempre, sempre prefiro viver.



Então, se o cara for um criminoso ou tiver histórico de bater em mulheres, por exemplo, ok, obrigada, eu prefiro viver sozinha a morrer por uma relação.

Agora, em situações normais, eu prefiro sofrer pelo fim de um relacionamento a deixar de viver, porque eu posso me recuperar de um sofrimento, mas os bons momentos que vivi ninguém pode me devolver.



E você, prefere o que?