segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

O não momento do amor


Você vai, mas fica tudo, tudo que vivemos, que queríamos ter vivido, e não foi possível. Lembranças não faltam, carnavais e invernos nos quais brigamos, nos quais fizemos as pazes, de tantas vezes, tantas coisas que é impossível descrever. Ainda lembro seus olhos no primeiro dia, e no último, a primeira vez que te vi, andando na rua, por que será que já ali senti uma coisa diferente...? Estranho. Não te achei bonito. Só vi teus olhos grudados em mim e percebi que, não sei até hoje porque, aquilo mexeu comigo. Lembro ainda da despedida, de teus passos descendo as escadas, e meu coração ruindo, sentindo que era a última vez, o desfecho final de algo que me acostumei a ter por tanto tempo – a certeza de que amaria você e que seria você que esperaria. Pena que não nos conhecemos no momento para o amor. Se assim fosse, talvez eu fosse amar você apenas, pela minha vida inteira. Mas agora fica tudo estranho, um vazio de você e ao mesmo tempo a certeza de que nada mudou, porque eu afinal nunca o tive. Não pude nem saber se era você que eu queria, e, de tudo, isso é o que mais lamento. Que não tenhamos vivido, que não tenhamos experimentado, que tudo tenha sido só um sonho e uma história que eu vivi sozinha.

sábado, 7 de dezembro de 2013

Lulus, polêmicas e tal

Antes que os aplicativos que dão nota a homens e supostos aplicativos que dão notas a mulheres saiam do papo do momento (se é que já não saíram, porque no mundo virtual tudo é tão rápido), resolvi dar minha singela opinião sobre o assunto.

Digo singela porque eu não pretendo que ninguém concorde com ela, especialmente as pessoas mais conectadas, as que adoram redes sociais, as que acham que não tem mal nenhum ficar fofocando sobre os outros em rede mundial.

Sim, porque, pra mim, essas coisas, nada mais são do que fofoca em rede mundial, fofoca que pode correr o mundo, e fofoca sempre pode fazer mal.

A verdade é que as impressões que temos sobre os outros não são 100% das vezes uma verdade absoluta. 

Eu, por exemplo, estou bem consciente de que tem gente que me acha uma chata insuportável, tem gente que me acha hilária, tem gente que me acha a pessoa mais bacana do mundo e tem gente que mal pode ouvir minha voz.

Também estou bem consciente de que as vezes eu mesma me acho a pessoa mais incrível que existe, e, outras, mal posso me olhar no espelho.

O mesmo se dá quando o assunto é sexo e relacionamentos. Um cara que é nota 9,5 pra mim, pode ser abaixo da crítica pra você. Isso já começa até mesmo na atração, porque eu posso gostar de um tipo físico que pra minha melhor amiga é uó.

Depois, aprofundando a questão do sexo, é claro que existem alguns gostos que são comuns a muitas mulheres, mas eu duvido que exista sequer um que seja comum a TODAS as mulheres. Idem para os homens.

Eu tenho amigas, por exemplo, que acham beijo na orelha a coisa mais insuportável do mundo e outras que não entendem como um cara pode não beijar a orelha. Eu tenha amigas que são loucas por carícias nos pés, e eu, sinceramente, daria um chute na cara de um homem que tentasse beijar meus pés. Gosto que deixem meus pés em paz.

Ou seja, pra mim, um cara que tem aquelas taras por pés é nota zero antes de fazer qualquer coisa. Para outras pessoas, ele pode ser nota 10 em todos os quesitos.
Tudo que eu falei até agora, porém, é pura obviedade. Todo mundo sabe. Qualquer um pode raciocinar e perceber.

A contribuição de um aplicativo que avalia e faz comentários sobre os homens, porém, é que acho mais problemática.

Você realmente acredita que seria bom ou útil, antes de sair com um cara, dar uma olhadinha no Lulu e ver a nota e os comentários sobre ele? Não, não responda essa pergunta pra mim. Responda pra você mesma e pense bem antes.

Imagine se você, que acha um charme tarados por pés, vai sair com um gato exatamente desse tipo e vê lá a minha desanimadora nota zero. Legal, né?

Ou pior, se eu sou uma ex inconformada e detono o cara no Lulu, e você, que vai sair com ele pela primeira vez, vê os meus comentários, sem nem saber que ele tem uma ex inconformada, e leva a sério?

Outra coisa, eu realmente não posso entender a cabeça de uma mulher casada ou enrolada, feliz e contente com seu relacionamento, que vai lá colocar o maridão no Lulu. Se você fala bem, esta fazendo uma linda propaganda do tipo “peguem o meu marido que ele é bom”. Se você fala mal, está difamando o próprio marido e não tenho comentários pra isso.

E se você falar qualquer coisa que seja, está abrindo margem para que uma sacana qualquer, que nunca teve nada com seu marido, ou que teve, mas não tem mais nada a ver, vá lá e coloque algo do tipo “#delicia”. Uma palavra simples, um nadinha, mas que você vai saber que veio de algum lugar. E pior, não sabe de que lugar, ou pior ainda, de que pessoa veio. Então, de repente você pode estar batendo boca com seu amado, que nem sabia que estava no Lulu.

Pra quem diz que é a “vingança das mulheres” eu respondo – ora minha amiga, não se faça de inocente. Eu tenho pilhas de amigos do sexo masculino e sei que eles não falam um terço das mulheres do que nós falamos dos homens. E aqui estou me referindo à questão sexual mesmo. Detalhes cabeludíssimos sobre o desempenho sexual dos homens fazem sim parte das rodas de conversas femininas. Por que eles não poderiam falar de nós, então?

E antes que alguém venha me dizer que estou sendo machista, me defendo – não vamos confundir as coisas. Eu estou sendo realista. Eu não gosto que falem de mim, claro, especialmente detalhes sobre meu desempenho sexual, mas uma vez que estamos na roda, estamos sujeitos. E eu não vou ser hipócrita de dizer que peço autorização pros caras com quem namorei pra falar sobre eles com minhas amigas.

De resto, me envergonho profundamente de que, estando quase no ano de 2014, depois de anos e anos de luta por diretos das mulheres, tenhamos nesse Lulu comentários do tipo “#pagaaconta”.

Por que será que mulheres que vivem arrotando feminismo por aí acham que o cara pagar a conta é um grande elogio?

É evidente que eu acho um charme um homem que, por educação, elegantemente paga a conta, dentro de suas possibilidades financeiras. No entanto, se ele pagar a conta porque acha que mulher gosta de dinheiro e isso impressiona e ajuda a dar umazinha, eu certamente prefiro que ele use esse dinheiro com uma profissional do sexo.

E se um namorado de tempos paga a conta sempre, eu honestamente não deixo. Me sinto mal, afinal de contas, eu já deixei de depender financeiramente de alguém há alguns anos. Não acho justo que uma pessoa fique sempre e sempre e sempre gastando rios de dinheiro comigo, ainda mais se for alguém que eu amo.

Podemos sacar o quanto esse Lulu é baixo astral pela reação indignada das mulheres quando começou essa história de que teria um aplicativo do mesmo nível para avaliar o sexo feminino.

Ouvi de mulheres, e respeito essa opinião, que os comentários do Lulu são inocentes, e os do outro aplicativo seriam péssimos, de baixo nível mesmo.

Mas, minha opinião: você acha mesmo que dizer de um cara que ele #preferevideogame ou #naofaznemcocegas é mais inocente do ele falar de você algo tipo #elaengole?

Inocência relativa, né? Pra mim, é tudo péssimo, ofensivo e, mais do que tudo, desnecessário.

Pra finalizar, e lembrando que ninguém precisa concordar comigo, acho pura perda de tempo ficar falando mal de alguém pela internet. Eu não usaria o Lulu pra falar de um ex, mesmo ficando anônima e mesmo daqueles que foram mais filhos da mãe comigo, e olha que eu tenho uma certa experiências em ex filhos da p.

Mas, se eles foram filhos da p comigo, podem não ter sido com outras. Aliás, alguns podem nem saber que foram filhos da p. O que é ser filha da p pra mim pode não ter nada a ver com o que é ser filha da p pra você. E, de mais a mais, ainda que alguns tenham tido comportamentos realmente lamentáveis comigo e até mesmo com outras mulheres, por que, Céus, eu perderia meu tempo falando deles ainda?

Que vão, que sigam seus caminhos e que evoluam. Eu estou tentando evoluir.