segunda-feira, 22 de junho de 2015

Café colonial aprovado!

Na sexta-feira eu fui conhecer mais uma atração gastronômica de Tubarão, que, apesar de ficar ao lado da minha casa, eu ainda não tinha experimentado: o café colonial da Dama Doce. Pra dar um parecer inicial bem sincero, eu achei uma delícia.

Como gaúcha que sou, minha visão de café colonial é sempre associada a muita comida passando enlouquecidamente pra todo lado, desde salgadinhos até linguiça cozida, bolos, pães tortas, além, claro, de vinho, suco, café, chá. Enfim, uma orgia gastronômica. E é claro que os cafés coloniais de Gramado, Nova Petrópolis e outros locais que já estive, especialmente na Serra Gaúcha, não são baratos e você nunca vai conseguir comer tudo.

Quero deixar bem claro que, ainda assim, sou mega fã desses cafés coloniais gaúchos, que são maravilhosos.

O café que tomei na Dama Doce, porém, me parece ter outro conceito, mas que eu achei igualmente bom. É um café mais comedido, com preço mais acessível. Tudo que experimentei, porém, é extremamente bem feito, novinho e muito gostoso.

Não se trata de um café que é servido na mesa, como nos da Serra Gaúcha, mas sim de um buffet, o que é interessante porque, se você  não for olho grande, vai pegar aquilo que vai comer. Pode até deixar alguma coisinha que não conseguiu socar na barriga, mas vai desperdiçar bem menos, o que possivelmente faz com que eles consigam fazer um preço melhor, além de ser mais socialmente responsável, já que ainda existe fome no mundo, né meu povo.

Este é um ponto: achei o preço super justo: R$ 25 livre. Tem também a opção a peso, pra quem quer, por exemplo, saborear apenas uma torta ou algo específico, mas não pretende comer de tudo. Achei um preço bem bacana e espero que o sucesso não faça ele aumentar até ficar inviável.
Sim, porque o local estava cheio, bombando. Assim que uma mesa ficava livre lá estava outro grupo pra tomar conta rapidinho.

Mas, enfim, vamos à comida, que é o que nos interessa. O buffet tem salgados e doces, claro, sendo que os salgados incluem tortas salgadas que achei muito boas (as que experimentei). Uma delas me chamou atenção – a cuca de camarão
. Eu não pude experimentar porque sou alérgica a frutos do mar, mas achei diferente e o pessoal que estava comigo provou e aprovou. Eu amei uma torta folhada de carne seca e a torta de legumes.

Os salgadinhos – coxinhas, bolinha de queijo, cachorrinho, etc – estavam bem novinhos e gostosos, então foram super aprovados. Também tinha mini-hambúrguer, que eu achei bem gostoso.

Pra mim, o que deixou um pouco a desejar foi a parte de frios e pães. Embora tenha opções de queijos, frios e pães, achei um pouco pobre. Creio que porque, pra mim, café colonial inclui produto colonial, e quando penso nisso logo me vem à mente vários tipos de queijos, salames, linguiças e pães, então achei que poderia ter um pouquinho mais de variedade nessa parte.

Já em relação aos doces, eu apreciei demais! Bom, tem opções de bolos, mas eu confesso que vendo uma série de tortas maravilhosas na minha frente, passei batida pelos bolinhos e me joguei na torta Kinder, na de dois amores (ou casadinho), uma das minhas favoritas, mas, especialmente na torta de paçoca, que foi a grande campeã de todo o café pra mim. Só por ela já valeu a pena, pois é muito bem feita, macia, deliciosa, e será a torta do meu próximo aniversário, se eu ainda andar por Tubarão.


Eu gostaria de ter provado os docinhos também, mas não deu. Juro. Quem me conhece sabe que eu como e como mesmo. Não sou de fazer grau. Mas os docinhos não couberam e vão ficar pra próxima, porque pretendo voltar com certeza.


O Café Colonial da Dama Doce funciona de segunda a sábado, das 15h às 20h, com opção livre ou a quilo e tem suco e café inclusos.