domingo, 21 de junho de 2015

O vício do costume

O ser humano se acostuma com tudo...

Nós nos acostumamos com o frio, o calor, com comidas das quais não gostamos, com músicas que não apreciamos, com mentiras, tão repetidas, que pensamos ser verdade. Nós nos acostumamos com sapatos desconfortáveis que estão na moda, com regras de etiqueta que não dizem nada, com um tom de voz moderado, mesmo quando queremos gritar de emoção.

É realmente incrível, mas nós nos acostumamos a passar depressa e não reparar nos tons do céu ao final do dia. Nos acostumamos a comer depressa e não sentir o gosto da comida. Nos acostumamos a sair depressa e não abraçar nossa família.

Nos acostumamos a viver como prisioneiros para fugir da violência, em vez de tentar descobrir suas causas. Nos acostumamos a rir da roubalheira dos políticos em vez de repensar o sistema em que vivemos. Nos acostumamos com injustiça e desigualdade em vez de lutar por nossos direitos.

É impressionante a quantidade de coisas com as quais nos acostumamos. Nos acostumamos a não chorar quando queremos porque “não pega bem”. Nos acostumamos a não beijar as pessoas porque não somos sentimentais. Nos acostumamos a fingir que não amamos para mostrar que somos independentes. Nos acostumamos a esquecer o prazer de fazer o que gostamos para fazer o que
“dá dinheiro”. Nos acostumamos a ver coisas mal feitas e não tentar mudar porque “o mundo é assim”. Nos acostumamos a não dar tudo de nós porque um pouco está bom.

Entre tudo que nos acostumamos está a desumanização do homem. Nos acostumamos a passar por homens como nós jogados no chão, pedindo esmolas, e não olhar para eles. Nos acostumamos a pensar que o sentido da vida está em ter muito e não em ser melhor. Nos acostumamos a abandonar nossos sonhos porque “não podemos mudar o mundo”. Nos acostumamos a sermos cruéis e

pensar que somos sensatos. Nos acostumamos a passar pela vida sem descobrir seu sentido.