domingo, 13 de setembro de 2015

Nova receita: panquecas

Domingo não tem nada melhor que uma receitinha prática e deliciosa pra alegrar a vida, não é mesmo?

Então lá vai o super mega segredo das fantásticas panquecas da Liti Marguerita. Bom, na verdade, elas não têm segredo nenhum, pois se tratam apenas de farinha, ovos, margarina, leite e sal. Sim, é só isso. E sim, todo mundo ama.

Na verdade, o que faz a panqueca ficar decente é você ter uma boa frigideira, que não grude e que não seja necessário ficar colocando óleo. Eu, por exemplo, não coloco óleo pra fazer panqueca, só quando estou fazendo para um batalhão e começa a grudar demais da conta, como diria uma amiga mineira. Nesse caso eu coloco uma micro gota de óleo só pra constar.

Vamos à receita com detalhes de quantidades.

Panqueca (cerca de 10 unidades):

1 xícara e meia de farinha de trigo;
1 xícara de leite;
2 ovos;
4 colheres de sopa de margarina (ou manteiga);
Sal a gosto.

Bom, eu sei que tem gente que bate com ovos, faz sei lá o que com margarina, etc, etc, mas eu não sou chef, então eu só jogo essas coisas todas aí em cima no liquidificador e bato. Bato, bato até ficar homogêneo, olha que palavra bonita. Às vezes não vai ser tão fácil quanto parece, porque a farinha pode ficar no fundo do copo do liquidificador (especialmente se for um bem simples, como o meu), mas aí você desliga, mexe com uma colher, sacode, enfim dá um jeito da massa misturar. Lembrando que ela tem que ficar com uma consistência mais líquida digamos assim (não que você possa colocar num copo e beber, mas não muito consistente, se não você não vai conseguir fazer as panquecas decentemente).

Com a massa pronta, você esquenta a frigideira. Eu não sei se é o tecnicamente correto segundo as leis da culinária, mas eu uso fogo baixo por motivos óbvios – não quero queimar as panquecas. E não, eu não sei atirar elas pra cima e virar milagrosamente, então eu levanto  a massa com uma espátula ou colher e viro, e ninguém fica triste por isso.

Pra fazer panquecas mais finas, você tem que colocar a massa no centro da frigideira, sem exagerar e ir espalhando, mexendo a frigideira para os lados, até que ela se expanda.

E suas panquecas estão prontas!

Agora, você pode e deve soltar sua criatividade para rechear as bichinhas. Entre as salgadas, você pode fazer o clássico: aquele guisadinho (carne moída para os leigos) de pastel e usar para rechear, ou fazer de queijo. Tem gente que joga molho vermelho ou branco por cima e gratina. Eu gratino (as salgadas), mas sem molho por cima.

E também gosto de inventar recheios. Na última vez que fiz, servi panquecas de queijo com linguiça calabresa e de queijos (gorgonzola, mussarela* e catupiry). A criação é livre. Como vai queijo, eu coloco no forno antes de servir.

No caso das doces, você pode fazer de um tudo, mas eu gosto de optar pelo prático: geleias, doce de leite, nutella, paçoquinha cremosa... Simplesmente coloco as panquecas na mesa, as opções de doces em seus potes mesmo, muitas facas sem ponta e liberdade para que cada um misture como bem quer. Já fiz também panqueca de chocolate – coloquei pedacinhos de chocolate dentro da panqueca e derreti no forno. Hummmm! É tudo uma delícia e o que eu mais gosto é da liberdade que a panqueca nos proporciona! Então, aproveite e invente as suas!


*Sei que muitos dicionários indicam a grafia correta como muçarela ou mozzarella, mas optei pela forma que o “erro consagrou” porque acho interessante a ideia de renascer a partir dos nossos erros. J