sábado, 26 de setembro de 2015

O que você fez?

Você já pensou no que você fez hoje? Possivelmente, ao ver esta pergunta aí escrita, você pensou no trabalho que executou, no que comeu, em alguém que visitou, na saída com os amigos ou num filme que assistiu.

Mas eu estou te propondo que você pare uns minutos e responda a si mesmo o que você fez enquanto fazia essas coisas todas. Quando você acordou, como tratou sua esposa ou seu marido, seus filhos, seu namorado, sua mãe ou seja lá quem foi que você viu?

Você lhes deu bom dia, você perguntou sobre o dia deles, você jogou um beijo antes de sair?

E ao passar pelo porteiro do seu prédio ou do trabalho, você conseguiu encontrar um bom dia pra oferecer ou você passou por uma pessoa invisível aos seus olhos?

E se você, politicamente correto que é, cumprimentou o porteiro, a empregada, a faxineira do prédio, como foi que você fez isso? Você fez isso pra mostrar pra si mesmo que é civilizado ou porque você consegue encontrar em seu coração a verdade de que aquela pessoa nada tem de diferente de você?

Você fala dos seus bons feitos e do quanto ajuda os outros, das doações que faz, mas não trata bem quem passa bem na sua frente?

Você, que coloca um Dr. antes de seu nome, todo cheio de orgulho, parou pra pensar se isso te faz diferente de qualquer pedreiro ou do lixeiro? E se você responder: é claro que faz, eu estudei, eu salvo vidas, eu salvo dentes, eu torno as pessoas mais bonitas e felizes, eu tenho o poder da justiça ou qualquer coisa que você pense que te difere, você se perguntou o quanto isso realmente importa?

E eu não pergunto o quanto importa pra mim, mas o quanto importa para você mesmo. O que isso te abona como ser humano? O que o seu carro, o seu trabalho, a sua viagem pro exterior, o seu belo apartamento fazem para resolver o problema de quem chora de fome em algum lugar talvez nem tão longe de você?

Você se acha ocupado? Pensa que porque tem uma profissão importante (importante por quê?) tem menos tempo do que o outro que você não faz ideia do quanto batalha, do porque chora à noite, das dores que sente, dos caminhos que percorre?

Você aí parou agora pra pensar se foi arrogante hoje com alguém? E você imaginou se talvez essa pessoa tenha dois ou três empregos e mal consiga pagar o aluguel, apesar de ter estudado tanto quanto você e de em nada ser menos que você?

Você parou pra pensar se a pessoa que você maltratou hoje por achar que não faz algo tão importante quanto você talvez estivesse cansada, talvez estivesse doente, talvez estivesse sofrendo por uma doença na família e mesmo assim não tenha aumentado o tom de voz com você, que arrogantemente falava do quanto a sua incrível vida perfeita é corrida?

Você tem um minuto pra pensar se você acha que os outros estão no mundo pra te servir?

Você avaliou se as suas incríveis conquistas talvez não tivessem sido tão fáceis se você não tivesse um pai ou uma mãe pra pagar os seus estudos?

Ou se você é um batalhador que conquistou tudo com muito esforço, você já parou pra analisar que existem milhares de batalhadores como você que não ficam por aí se vangloriando disso?

Você ainda sabe como é acordar às 6h e começar a trabalhar aguentando um bando de arrogantes mesquinhos como você, depois partir pra mais um emprego, caminhando alguns quilômetros porque não tem dinheiro pra comprar um carro?

Você parou pra imaginar que enquanto você, que se acha tão ocupado por, além do trabalho, ter um filho pequeno, vai pra casa achando cansativo ter um filho pequeno, talvez a pessoa que você destratou por se achar incrivelmente ocupado tenha um desejo imenso de poder ter um filho?

Você, que contabiliza feitos sociais e profissionais e vai para casa achando o máximo por ter dado mais um passo na carreira teve a habilidade hoje de salvar o dia de alguém com um sorriso de compreensão?

Você que se gaba de salvar vidas sabe acariciar uma alma com um pouco de educação?

O que você fez hoje? O que você fez enquanto o mundo não parava pra você ser maravilhoso, enquanto uma mãe não deixava de perder um filho por você não fazer mais que a sua obrigação obturando um dente, enquanto uma pessoa não deixava de chorar de dor porque você “vencia” um caso, enquanto uma pessoa não deixava de descobrir um câncer porque você desenhava um projeto que em nada vai tornar o mundo melhor, porque um dia vai virar pó, como ele, como você, como tudo que você comprou, como os seus diplomas, como o corpo que você tanto valoriza.

O que você fez hoje pela sua alma?


O que você fez hoje com verdadeiro amor?


O que você fez?