domingo, 25 de outubro de 2015

Paisagismo bonito com uso inteligente da água

Por Daniela Sedo
Arquitetura e Paisagismo

Dentre os diversos problemas que podemos enfrentar com a falta de água, alguns podem impactar diretamente na beleza do jardim e ao mesmo tempo, trazer um gasto em excesso sem que haja necessidade para tal. É importante ficar atento para não desperdiçar este recurso natural, e até mesmo em locais que ainda não foram afetados pelo problema, devem manter os cuidados. O que se deve fazer para conseguir manter o paisagismo e colaborar com a economia?

O primeiro passo é avaliar o jardim e as espécies de plantas, que podem necessitar ou não de regas frequentes. A rega pode ser feita apenas três vezes por semana nos casos de jardim que eram regados todos os dias; Mas se o costume era de três dias alternados, pode-se reduzir em duas vezes por semana. Assim as plantas recebem a água necessária sem prejudicar o reservatório de água.

A escolha das plantas também é algo que causa impacto no volume de água consumido nos cuidados do jardim. Por exemplo, espécies tropicais necessitam de mais rega do que espécies de origem européia: palmeiras necessitam de mais água do que pinheiros, e heliconias necessitam de mais água do que buxinhos. Ao idealizar um novo jardim, é indicada, para algumas espécies, a utilização de um gel durante o plantio que absorve a água e se expande, liberando o líquido gradativamente ao longo de aproximadamente 20 dias. Ou seja, a água não é desperdiçada no solo porque se mantém na raiz. É importante, porém, ficar atento para algumas plantas que não podem receber esse gel, pois podem acabar apodrecendo por causa do excesso de umidade.

O período de planejamento que antecede o início das obras para construir um novo jardim é o melhor momento para definir o uso de um sistema de reutilização, ou de aproveitamento de água da chuva, já que nesta etapa é possível dimensionar previamente o volume do reservatório em relação ao tamanho do jardim e às necessidades específicas de cada espécie. Mas fazer este tipo de obra em um jardim já pronto pode ser complicado, e em alguns casos seria inviável economicamente. Uma alternativa é fazer a captação da água da chuva através de calhas nos telhados que levam o líquido para uma cisterna, que pode ser encontrada em lojas de materiais de construção. Essas cisternas devem ter os filtros necessários para eliminação da sujeira e, em alguns casos, uma bomba também é indicada para levar a água reaproveitada para torneiras externas e sistemas de irrigação do jardim.

Durante períodos de escassez a maior preocupação com a água é evitar o desperdício e buscar por alternativas que beneficiem não somente a beleza do jardim, mas que contribuam também para a economia e o reaproveitamento de recursos naturais.